Serviços

Executamos vários tipos de serviços, de entre os quais:
- Decapagem;
- Metalização
- Corte e Quinagem
- Construção e aplicação de coberturas
- Estruturas metálicas
- Fabricação e montagem de gradeamentos
- Pavilhões industriais

CORTE E QUINAGEM

A quinagem e o subsequente corte de peças é um processo de alteração de forma que consiste na deformação de chapa permitindo o fabrico de superfícies planificáveis de geometria cilíndrica, cónica ou prismática.

A maquinaria da Portalva garante-lhe um fabrico de elevada qualidade, bem como um leque de produtos da mais variável índole, desde ……

 

Classificação de Processos de Quinagem:

·         Quinagem no ar - Neste caso, o valor do ângulo de quinagem é determinado pela penetração do punção na matriz (Profundidade de quinagem). As forças envolvidas são baixas, mas a precisão dimensional é limitada, devido à recuperação elástica que o material sofre após deformação plástica alterando a geometria final da peça.

·         Quinagem a fundo - Na quinagem a fundo, muitas vezes designada de quinagem com "quebra do nervo", a chapa é esmagada entre o cunho e a matiz de modo a reduzir ou até mesmo eliminar a recuperação elástica do material após serem retiradas as solicitações aplicadas. Geralmente, utilizada para chapas finas (espessura inferior a 3 mm), a força utilizada é 3 a 5 vezes maior do que a utilizada no processo de quinagem no ar.

·         Quinagem em V - Na quinagem em V, a chapa é deformada até encostar às ferramentas, sendo a folga entre cunho e matriz igual à espessura da chapa. A operação é mais precisa que a quinagem no ar e é geralmente utilizada para quinar chapas com ângulos de 90º ou ligeiramente inferiores, com espessuras que podem variar entre os 0.5 e os 25 mm.

·         Quinagem em U - Na quinagem em U, existem 2 eixos de dobragem paralelos. Normalmente utiliza-se um encostador que promove o contacto com a chapa na zona do fundo do cunho, evitando defeitos de forma na peça. A força de quinagem tem um acréscimo de cerca de 30 a 40%.

·         Quinagem em Rotativa - Na quinagem rotativa recorre-se a uma matriz rotativa para enformar a chapa. Não é necessário utilizar encostador e as forças requeridas são baixas. O efeito de mola pode ser compensado diminuindo o ângulo de dobragem.

·         Quinagem em Flange com cunho de arraste - Uma das abas é fixada por um encostador, enquanto que a outra é dobrada a 90º pela acção do cunho. Com a variação do curso, é possível alterar com facilidade a dimensão da aba enformada e o ângulo de dobragem.

Variantes especiais - Poderemos ter ainda variantes do processo que permitem efetuar duas quinagens em simultâneo, ou efetuar dobras sucessivas em grandes comprimentos de chapa.

 

PAVILHÕES INDUSTRIAIS

Com experiência comprovada neste campo, os resultados obtidos mostram só por si o empenho e profissionalismo desta empresa.

Virada para o futuro, a Portalva tem a preocupação de acompanhar tendências por forma a satisfazer as exigências de mercado.

COBERTURAS

Com uma equipa altamente especializada, a execução deste tipo de trabalhos é cumprida de acordo com as mais apertadas normas de segurança.

Neste setor, a Portalva é competente não só no fabrico, como também na montagem, manutenção ou remoção de coberturas metálicas tanto de âmbito habitacional, ou industrial.

ESTRUTURAS METÁLICAS

A experiência adquirida no ramo da metalomecânica ao longo de 2 décadas, permite-nos executar vários tipos de estruturas metálicas personalizadas, em chapa, ferro, inox e alumínio, desde escadarias, plataformas, pavilhões, coberturas, perfis, entre outras.

METALIZAÇÃO

A metalização consiste numa operação de revestimento de uma superfície de uma peça (metálica ou não) com uma camada de metal a fim de lhe conferir maior resistência ao desgaste ou à corrosão ou apenas para fins decorativos.
O método mais utilizado na metalização de peças metálicas é a deposição eletrolítica (galvanização), embora sejam também importantes as metalizações realizadas por laminagem (aplicação por laminagem de camadas superficiais finas), imersão em banhos de metais fundidos (por exemplo estanho), calorização (aquecimento do objeto numa mistura de Al-Al2O3 em pó), cromagem (aquecimento do aço em vapor de cloreto cromoso) e metalização por projeção à pistola (por exemplo de alumínio sobre aço). (in www.infopedia.pt )

As vantagens de utilizar a metalização em superfícies metálicas são as seguintes:
- Proteção anticorrosiva de longa duração;
- Reduz a necessidade de manutenção das estruturas metálicas;
- Confere um revestimento de excelente resistência;
- De grande facilidade de aplicação;
- Sem recurso ao aquecimento da superfície metálica;
- Proteção instantânea (sem período de secagem nem de arrefecimento);
- Superfície ideal para posterior aplicação de pintura.